quinta-feira, novembro 22, 2007

London Scrum Gathering - Um breve relato

Na última semana estive em Londres para palestrar na edição de outono do Scrum Gathering, o principal evento de Scrum do mundo. A viagem foi extremamente interessante tanto por aspectos profissionais quanto pessoais, visto que ao visitar Londres consegui realizar um antigo (mas sempre vivo em minha mente) sonho adolescente.

Sobre o evento
O evento foi aberto através de um Keynote do Bruce Radloff da TeleAtlas, mas infelizmente não pude acompanhar visto que a minha palestra era logo na seqüência, e então – além do nervosismo – eu estava ocupado deixando tudo pronto na minha sala de apresentação.
Após um tradicional “tea break” britânico – chegou a hora da verdade! A minha apresentação “Why Scrum intimidates?” tinha como propósito mostrar os porquês da grande resistência sofrida pelas abordagens ágeis (com foco em Scrum) nas empresas ao redor do mundo. Com um forte toque de humor (tradicional em minhas palestras) avaliei “ponto-a-ponto” a forma com que Scrum ameaça a zona de conforto existente hoje nessas empresas, e – a partir destes vícios mapeados - mostrei alguns mecanismos que venho utilizando para quebrar essa resistência. Fiquei satisfeito com o resultado final: consegui passar minha mensagem, fui compreendido bem e mostrei ao mundo que o Brasil já está fazendo muita coisa com Scrum.
Após o almoço, assisti a palestra "Why Scrum Projects Fail?" apresentada por Joseph Pelrine da MetaProg e Jiri Lundak da Löwenfels Partner (Suiça). Foi uma palestra muito legal, que tocou muito no lado humano que Scrum envolve e forneceu grandes e importantes conselhos para as Scrum Retrospectives. Na seqüência, para última palestra do dia escolhi assistir ao Mike Cohn da Mountain Goat (USA) falando sobre o processo de transição para agile, uma palestra também recheada de dicas valiosíssimas.

No dia seguinte perdi novamente o Keynote inicial, agora com o pessoal da F-Secure (como vocês podem perceber eu sofri um pouquinho com o fuso). Neste dia assisti às duas melhores palestras do evento, uma proferida pela Sabine Canditt (CSP da Siemens) - a Sabine havia assistido a minha palestra no dia anterior e ao decorrer do evento trocamos algumas informações bem legais. A palestra dela foi muito interessante, fiquei impressionado em ver como a Siemens vem usando Scrum pra “quase” tudo. Depois disso, sala lotada para assistir “ninguém mais – ninguém menos” que ele: Mr. Ken Schwaber com sua palestra “The Enterprise and Scrum”. A palestra foi ótima, mas um ponto importante pra mim foi ter visto Mr. Schwaber tocar em uma série de pontos e alertas que eu havia falado em minha palestra no dia interior. Pensei “opa...então eu estou realmente certo!” ;)
O Keynote seguinte (da British Telecom) – que foi excelente e divertidíssimo por sinal – era pra ter sido a última apresentação do dia. Mas Ken Schwaber presenteou-nos com uma sessão "extra" de 4 horas(acho que treinamento seria mais apropriado) intitulada “Scrum Update”...MAGNÍFICO! Ser treinado pelo cara que co-criou Scrum foi realmente algo muito importante e que com certeza melhorará a “minha forma” de usar Scrum nas empresas daqui pra frente. Saímos da Dexter House após às 22hs, eu estava realmente muito cansado, mas ainda tinha que parar em algum pub para tomar pelo menos um pint para celebrar o dia. :)

Último dia do evento: Open Space com Rachel Davies da Agile Experience. A sessão iria durar o dia inteiro e eu estava muito cansado mesmo, então acompanhei algumas partes (bem legais por sinal) e após o almoço me despedi dos conhecidos e voltei para o hotel.

Bom, a experiência foi única e importantíssima para a minha carreira. Foi uma honra me ver palestrando no principal evento de Scrum do mundo ao lado “dos caras” e, principalmente, ver que estou fazendo certo, que muito que penso e aplico está “de acordo” com o que os caras das origens do Scrum pensam e aplicam.
Muitos links que coloquei neste post levam aos slides das apresentações, mas infelizmente tenho que frisar que eles não representam nem 15% do que foi visto em cada sessão.

E vamos seguindo a estrada, mas vamos pela de barro e com buracos, porque é por ela que mais iremos aprender e nos divertir! ;)

Obs: Na próxima edição da revista Visão Ágil farei um relato detalhado sobre o evento.

Nenhum comentário: