sexta-feira, setembro 01, 2006

Mostra-me tua equipe, e eu te direi quem és!

Empresas e projetos
O que significa o fracasso de um projeto para uma empresa? De uma forma simplificada poderíamos dizer que significa a perda de dinheiro, reputação e coragem. Dinheiro por motivos óbvios, reputação pelo desgaste que a equipe sofrerá com a queda, e coragem pelo fato de que a alta diretoria da empresa se sentirá apreensiva para investir em próximos projetos. Talvez, por este motivo pudemos perceber que nos últimos anos as companhias tem ficado mais atentas para a prática qualificada do gerenciamento de projetos. Na maioria das verticais de negócio, vemos um crescente investimento na capacitação e qualificação dos gerentes de projetos, mais ainda em ferramentas, metodologias, certificações e outros.
No entanto, no fim de cada projeto, continuamos a assistir o mesmo filme de sempre: “Caça às Bruxas'. Ou foi culpa do gerente, ou da diretoria, ou da falta de um maior investimento, ou dos programadores, ou da inexistência de treinamentos, ou – como é na maioria dos casos – a culpa foi do cliente(interno ou externo), que não sabia exatamente o que queria! (Esse assunto geraria facilmente um novo artigo, mas convido-os a visitar a lista agile-brasil, onde o tema já foi bastante debatido). Enfim, a temporada de caça está aberta, e a pergunta continua sendo a mesma: de quem é a culpa?

Ritual de fim de projeto
A resposta para essa pergunta pode ser obtida facilmente seguindo o seguinte ritual:
1.Convoque todos (exatamente todos) os envolvidos no projeto para uma reunião.
2.Quando todos estiverem presentes, solicite que se levantem e, após o uuumm...doooiss..trêêêss, repitam: A CULPA É NOSSA!
Pronto, a pergunta está respondida.

Onde está a equipe?
A resposta obtida no “ritual” que citei, dificilmente será aceita pela maioria dos participantes da reunião, afinal, se eles não foram uma equipe durante o projeto inteiro, não é agora – hora de encontrar culpados – que se tornarão uma. Mas será que se tivéssemos uma verdadeira equipe o resultado final seria seria diferente? Com certeza! Gerentes de projetos tem começado a perceber repetidamente algo em comum em projetos bem sucedidos: equipes de verdade, e – consequentemente - de alto desempenho. Mas o que é uma equipe de alto desempenho?

Equipes de alto desempenho
Um equipe de alto desempenho é aquela que possui um objetivo bem definido e compartilhado por todos os membros do projeto. É uma equipe onde todos estão entusiasmados com suas atividades, querem vencer juntos. Os membros dessas equipes são criativos e ousados na busca da qualidade, são dedicados, acordam na segunda-feira com vontade de ir para o projeto, pois se divertem no trabalho, e se divertem juntos, querem sempre fazer mais e melhor. Todos querem participar de uma equipe dessa, pois sabem que além de uma experiência profissional inigualável, isso será um divisor de águas na sua carreira.
Agora, quando isso não existe, o que você tem são clientes, diretores, gerentes, analistas, programadores e outros, cada um de um lado, com um “crachá” diferente.

Qual sua missão nesse projeto?
Tive uma experiência no passado, quando estava gerenciando um pequeno projeto que – para a diretoria – não estava gerando os resultados esperados. Quando menciono para a diretoria, é porque para nós – gerente, analistas e programadores – estava tudo aparentemente “nos trilhos”. Mas me frustou ouvir de meu diretor que não, que os resultados que eles precisavam não eram apenas cronograma afinado e resultados aparentes. Fui encorajado por ele a fazer um “acompanhamento” junto à nossa equipe para realizar a seguinte pergunta a todos: “Qual sua missão nesse projeto?”. Enquanto eu realizava esse trabalho pude perceber onde estava o problema e, ao finalizar, cheguei à mesa do diretor e disse: “Você estava certo, temos que mudar algo em nosso time”. O algo a mudar não eram pessoas, ferramentas, métricas ou metodologias, mas sim a forma com a qual a “equipe” enxergava o projeto. No acompanhamento, programadores responderam que sua missão no projeto era “programar”, analistas “analisar e modelar” e por ai vai. Ninguém mencionou palavras relacionadas ao sucesso do projeto, a resultados, ao objetivo maior, ao algo que se busca – aí sim – programando, modelando, gerenciando, etc. Portanto, o projeto estava fadado ao fracasso.

Como formar equipes de alto desempenho?
Uma série de fatores influenciam no sucesso ou fracasso dessas equipes, infelizmente não há uma receita, e é bom que tenhamos em mente que nem sempre isso será possível. Segue algumas atitudes que podem ajudar na formação dessas equipes:
- Siga os valores do manifesto ágil
- Tenha claro os objetivos do projeto. É extremamente importante que a expectativa de todos os envolvidos seja a mesma.
- Valorize a comunicação, montando inclusive um ambiente favorável às conversas espontâneas.
- Providencie recursos, principalmente econômicos, para que a atenção – e preocupação – da equipe esteja focada no projeto.
- Valorize a criação.
- Valorize as opiniões dos membros da equipe.
- Aceite falhas.
- Encoraje a ousadia.
- Torne o trabalho prazeroso e divertido.
- Prefira qualidade à quantidade, ou seja, desenvolver menos com qualidade é melhor que mais sem qualidade.
- Crie um nome, escudo, slogan...enfim, algo que identifique e diferencie a equipe.
- Encoraje os conflitos construtivos.
- Preocupe-se com o objetivo coletivo e não individual.

Um comentário:

João P. Constantino disse...

Magno, excelente artigo! Reflete exatamente a realidade das equipes de projetos de software